Nobre Casa de Cidadania

Membros

Membros

A Comissão de Honra é composta pelas seguintes personalidades:

 

       

António Barros Cardoso

António Barros Cardoso é doutorado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde é atualmente professor. Tem dedicado grande parte da investigação e ensino à história do vinho e em particular ao papel que a cidade do Porto sempre teve no seu comércio. No plano da investigação histórica e no âmbito da História do Porto tem-se dedicado a temáticas que vão da História do Comércio Vinícola no Porto à História do urbanismo portuense, bem como das relações complementares entre a cidade e a Região Demarcada do Douro. Em 2004 recebeu o Prémio de Investigação da Associacion Internacional História y Civilización de la Vid y del Vino pela obra “Baco & Hermes – O Porto e o Comércio interno e externo dos Vinhos do Douro (1700-1756)”. É Presidente da Direção da Associação Portuguesa de História da Vinha e do Vinho, desde 2009.

  

Daniel Serrão

Daniel Serrão é um médico português especialista em Ética da vida. É autor de vários estudos científicos sobre a Bioética e a Ética da vida e Professor Catedrático de Anatomia Patológica e Doutorado em Medicina. Frequentou os Liceus de Viana do Castelo e Coimbra e em 1944 completou o Curso Geral dos Liceus com 18 valores na cidade de Aveiro. Ainda na mesma cidade, terminou em 1945 o Curso Complementar de Ciências com 18 valores e terminou em 1951 o curso de Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, com média final de 17 valores. Entre 1951 e 1953 cumpriu o serviço militar obrigatório, prestando serviço no Hospital Regional nº1 do Porto e em 1959 doutorou-se com 19 valores. Em 1961 concorreu a professor extraordinário de Anatomia Patológica e em 1971 a professor catedrático, com aprovação por unanimidade em ambos os concursos. Palestrante em centenas de conferências em todo o território português e no estrangeiro.

 

Júlio Isidro

Júlio Isidro é um dos mais prestigiados profissionais da televisão e rádio em Portugal. Com 53 anos de carreira, são vários os programas em que participou como autor, apresentador, realizador e produtor. Destaca-se o seu papel na vida artística nacional ao ter lançado e contribuído para o sucesso de alguns dos mais destacados nomes da música portuguesa e também de muitas figuras da cena artística e cultural no país. Por esse facto foi agraciado pelo Presidente da República com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique. Entre os seus programas mais populares em rádio e televisão contam-se a Febre de Sábado de Manhã, o Passeio dos Alegres, Festa é Festa, a Outra Face da Lua, Fungagá da Bicharada, entre muitos outros. Júlio Isidro dedica-se também à literatura infantil - tem diversos livros publicados: Histórias do Tio Julião, É Tudo Primos e Primas, Cem Histórias para ler e sonhar, etc, alguns incluídos no Plano Nacional de Leitura.Actualmente produz e apresenta o talk show Inesquecível na RTP Memória.

 

General Loureiro dos Santos

O General Loureiro dos Santos é um militar português. É conferencista e autor de obras e de artigos na imprensa especializada sobre Estratégia, Segurança e Defesa. Foi professor do Instituto de Altos Estudos Militares como oficial general, Professor no Instituto de Altos Estudos da Força Aérea e Professor no Instituto de Defesa Nacional. Desempenhou as funções de Vice-Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, de Ministério da Defesa Nacional dos IV e V Governos Constitucionais e de Chefe de Estado-Maior do Exército. Frequentou, entre outros, os cursos de Artilharia da Escola do Exército e de Comando e Estado-Maior do Exército Brasileiro, onde fez um doutoramento em Ciências Militares, e lecionou no IAEM, no IAEFA e no ISCSP. Ao longo dos anos foi condecorado por diversas vezes, sendo de destacar a sua nomeação como Cavaleiro da Ordem Militar de Avis de Portugal, Grã-Cruz com Distintivo Branco da Ordem do Mérito Militar de Espanha, Grã-Cruz da Ordem do Mérito Militar do Brasil e Grande-Oficial da Ordem de Mérito de Itália.

 

Manuel Sérgio

Manuel Sérgio é filósofo, professor, educador, ativista e político português. É licenciado em Filosofia pela Universidade Clássica de Lisboa e Doutor e Professor Agregado em Motricidade Humana pela Universidade Técnica de Lisboa. A sua tese de doutoramento, intitulada “Para uma Epistemologia da Motricidade Humana”, defende a existência da ciência da motricidade humana, de que a educação física é a pré-ciência. É sócio da Associação Portuguesa de Escritores e autor e co-autor de 40 livros e de inúmeros artigos, em revistas nacionais e estrangeiras. É professor catedrático convidado aposentado da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa. Foi professor catedrático da Universidade Fernando Pessoa e do Instituto Superior da Maia, e ainda da Faculdade de Educação de Física da Universidade Estadual de Campinas. É sócio fundador da Sociedade Internacional de Motricidade Humana e da Sociedade Portuguesa de Motricidade Humana. Foi presidente da Assembleia Geral do Clube de Futebol “Os Belenenses” e vice-presidente da Direcção deste mesmo Clube. Foi também presidente da Assembleia Geral da Associação de Basquetebol de Lisboa e presidente do Conselho Fiscal da Associação de Andebol de Lisboa.

 

Pedro Bacelar de Vasconcelos

Pedro Bacelar Vasconcelos é Professor de Direito Público na Universidade do Minho e conta com um passado notável, tanto ao nível académico como ao nível da defesa dos direitos humanos, das minorias étnicas contra o racismo e xenofobia. É Licenciado (1982), Mestre (1990) e Doutor (1996) em Direito e Ciências Jurídico-Políticas, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e diretor do Departamento de Ciências Jurídicas Públicas e do Curso de Mestrado em Direitos Humanos da Universidade do Minho. Foi Governador Civil do Distrito de Braga entre 1995 e 1999 onde se notabilizou pela defesa da comunidade cigana de Oleiros. Foi também redator da Constituição de Timor-Leste, da Carta dos Direitos Humanos da União Europeia e cofundador do Observatório Europeu do Racismo, Xenofobia e Anti-Semitismo e Membro da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial, sob a presidência do Alto-Comissário para a Imigração e Minorias Étnicas.

 

Rosário Farmhouse

Rosário Farmhouse é licenciada em Antropologia pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Em 2011 foi reconduzida no cargo de Alta-Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural, que ocupava desde 2008, ano em que lhe foi atribuído, pela primeira vez, o Prémio Padre António Vieira, pela sua atividade em favor dos direitos humanos e da integração dos imigrantes em Portugal. De acordo com o parecer do júri deste Prémio, "a atividade desenvolvida por Rosário Farmhouse em prol da integração de imigrantes provenientes de diferentes culturas e religiões, implica um espírito de diálogo intercultural e inter-religioso que atualiza uma dimensão essencial da personalidade e da ação do Padre António Vieira". Começou a trabalhar em 1988, na Cáritas Portuguesa e posteriormente na Cáritas Diocesana de Lisboa, onde elaborou vários estudos sócio-antropológicos no âmbito dos “Planos de Desenvolvimento Integrado” de bairros degradados, passando também a pertencer à direção desta instituição. Dedicou parte da sua vida profissional ao Serviço Jesuíta aos Refugiados de Portugal, tendo assumido o cargo de diretora entre janeiro de 2003 e fevereiro de 2008. O trabalho de Rosário Farmhouse tem vindo a ser reconhecido publicamente com vários prémios e condecorações. Em 2003 foi condecorada com o grau de Oficial da Ordem do Infante D. Henrique e em 2008 foi condecorada com a Ordem da Princesa Olga pelo Presidente da Ucrânia. Publicou o livro “Começar de Novo – Passo a passo com refugiados e deslocados”, em Junho de 2002.

 

Ruy de Carvalho

Ruy de Carvalho é um dos mais célebres atores portugueses da atualidade. No teatro desde 1942, onde se inicia com a peça “O jogo para o Natal de Cristo”, termina o Conservatório Nacional em 1947, com 18 valores. É um dos Fundadores do Teatro Moderno de Lisboa, grupo teatral que passa a integrar e onde participa em todas as suas peças, assume em 1963 a direção artística do Teatro Experimental do Porto. De regresso a Lisboa faz parte de outras companhias de teatro e viaja para Espanha, onde participa no concerto de encerramento da temporada do Teatro Monumental de Madrid. Ator multifacetado, estende a sua atividade ao cinema, à rádio, à televisão, e às dobragens de filmes animados. Galardoado com três Globos de Ouro, os Prémios de Imprensa para o Teatro, Prémios de Imprensa para o Cinema, Prémios da Crítica Especializada, entre muitos outros, viu ser-lhe atribuída a Medalha de Mérito Cultural, em 1990.  Foi agraciado com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique em 1994,  com a Comenda da Ordem de Santiago da Espada em 1998, e é desde 2010 Grande Oficial da Ordem de Santiago de Espada, detendo ainda  a Grã Cruz da Ordem de Infante D. Henrique, desde 2012. No palco sempre com muito amor pelo teatro e pela vida, escreveu recentemente livro dedicado à sua cadela Naná.


Teresa Ricou

Teresa Ricou é uma das maiores artistas portuguesas ligadas às artes circenses. Criadora de Teté, a mulher-palhaço, a personagem que passou a ser mais conhecida do que a sua própria criadora, Teresa Ricou cedo tomou as rédeas do seu destino. Por amor à arte frequentou escolas de arte europeias (Escola de Circo da Hungria,  a Escola de Mímica Jean Jacques Lecocq, a Faculdade de Vincennes, a Cartoucherie de Vincennes, entre outras) e realizou cursos como o de Cinema Cubano e o de Vídeo. Mas foi no circo, em França, que encontrou e cultivou a sua vocação de cidadã.

Funcionária da Secretaria de Estado da Cultura criou o Departamento de Circo, nos finais da década de 1970. Responsável por diversas ações de dinamização cultural, Teresa Ricou dedicou-se, após passagem pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo Ministério da Justiça, à reinserção de jovens em risco. Mentora e construtora do projeto Chapitô, nos anos 80, uma associação cultural sem fins lucrativos, ONGD e IPSS com estatuto de utilidade pública, Teresa Ricou viu o seu empenho e dedicação reconhecidos em 1998 com o Prix de l’Initiative da Fondation de Crédit Coopératif. Em 2005 foi galardoada com o Silver Rose Solidar Award pelo seu trabalho na área da ação social, e em 2009 recebeu o Prémio Gulbenkian Beneficência.

Sempre ligada à arte circense, à ação social e à economia social, Teresa Ricou continua a ser referência tanto no panorama nacional como internacional. 


Padre Vítor Melícias

Vítor Melícias licenciou-se em Direito Canónico em Roma, Itália, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, e em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa. Para além das suas funções como sacerdote, Vítor Melícias acumulou dezenas de cargos ao longo da sua vida, muitos deles de grande importância, sempre na área da solidariedade social. Ainda antes da Revolução do 25 de abril de 1974, ajudou a fundar a DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor) e colaborou com a SEDES. Em 1974, assumiu a presidência da Liga dos Bombeiros Portugueses, cargo que ocupou durante seis anos. De 1981 a 1983, foi presidente do Serviço Nacional de Bombeiros. Em 1991, assumiu a presidência da União das Misericórdias Portuguesas e, dois anos depois, foi eleito presidente de honra da Confederação Internacional das Misericórdias. Desde 1998, foi membro efetivo do Comité Económico e Social da União Europeia e, em 1999, nomeado Comissário Nacional para Apoio à Transição em Timor-Leste. Integrou ainda conselhos de diversas instituições como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Universidade de Coimbra, a Fundação Montepio Geral, a Fundação Ilídio Pinho e a Fundação da Juventude. Ao longo dos anos recebeu vários prémios e distinções, sendo de destacar a nomeação como Grande Oficial da Ordem de Benemerência em 1983, o Prémio Nacional de Solidariedade de 1986 e a Grã-Cruz do Mérito em 1993 e e a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo em 2006.